Encontro Juventude é realizado durante o XXI Encob

24/10/2019

 

O eixo proposto para o Encontro Setorial da Juventude no XXI ENCOB está diretamente ligado ao tema central do Evento "Gestão das Águas, só que aqui será - # FALAJUVENTUDE" . Os jovens e instituições presentes ao encontro foram levados a debaterem questões básicas de inserção da Juventude no contexto da Gestão dos Recursos Hídricos. Vários temas em encontros anteriores já foram debatidos, tais como Mobilização, Capacitação e Comunicação. Neste ano o encontro terá o foco, de forma objetiva, em buscar caminhos para formação de uma REDE de articulação em prol a participação da juventude junto a gestão do sistema de recursos hídricos e assim apresenta a seguinte programação:

 

O encontro foi promovido por: 

 

Nélio Miguel Jr, Conselheiro Nacional de Juventude, membro do Comitê do Rio Sergipe, Secretário executivo do Conselho Estadual de Juventude de Sergipe  e graduando em Saneamento Ambiental pelo Instituto Federal de Sergipe.


João Paulo Angeli, Graduando em Antropologia - Diversidade Cultural Latino Americana na UNILA (Universidade Federal da Integração Latino Americana). Coordenador Geral Adjunto do Parlamento Nacional da Juventude Pela Água - PNJA, atua como Gestor de Educação Ambiental na cidade de Foz do Iguaçu/PR - CEMFI e na Bacia do Paraná 3 junto ao Coletivo Jovem da BP3. Compõe a Articulação Nacional dos Coletivos Jovens pela região Sul do Brasil e o Observatório dos ODS Paraná. Tendo experiência no debate e na implementação de Políticas Públicas de Juventude e Meio Ambiente, Educação Ambiental, na Agenda 2030 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e no trabalho de empoderamento e protagonismo das juventudes frente às diversas temáticas Latino Americanas.

 

Marcos Sant’anna Lacerda, Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Santa Úrsula, responsável pela criação do Instituto Terrazul, Organização Não-Governamental, fundada em 1997. Por meio do Instituto Terrazul coordenou projetos nas áreas de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, de Coleta Seletiva, de Gestão de Recursos Hídricos, de Reflorestamento, de Educação Ambiental, de Eficiência Energética em Assentamentos de Baixa Renda, além de ter coordenado anteriormente o Cadastro de Favelas da Cidade do Rio de Janeiro no antigo IPLANRIO, atual Instituto Pereira Passos. Atualmente é presidente do Comitê da Região Hidrográfica da Baía de Guanabara, membro do Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro (CERHI) e Coordenador do Grupo de Trabalho do Fundo Estadual de Recursos Hídricos – GT Fundrhi.

 

Nos debates ocorridos tivemos destaques para questões como:

 "A importância da ligação entre inteligência coletiva e fortalecimento da juventude para gestão de recursos hídricos."

 "Universidade como agente de colaboração para inserção da juventude acadêmica na gestão de recursos hídricos."

 "A importância da pesquisa e projetos de extensão como meios de envolvimento da juventude na gestão de recursos hídricos."

 "Divulgação de pesquisas, monografias, artigos e outros, já realizados sobre bacias hidrográficas de todo país."

 "Intercâmbio de experiências de programas e projetos bem sucedidos pelos diferentes Comitês de Bacias e entidades locais, com relação ao envolvimento da juventude com o tema Água."

 "Dialogo com as conferências da juventude e meio ambiente, integrando jovens participantes dos eventos realizados junto à gestão de recursos hídricos."

 "Destaque da necessidade de envolvimento da juventude de comunidades tradicionais, pois para as mesmas, a água é território, é o sagrado, é o bem comum."

 "Que as instâncias governamentais que sediarem os ENCOBs comprometamse a divulgar nas escolas públicas e as nas universidades a realização do encontro na cidade que for sediar o evento."

 "Que a organização do ENCOB se comprometa a manter o encontro setorial da juventude em todos os eventos."

 "Que as organizações de base sejam fortalecidas e que as questões locais sejam vistas como fundamentais, como por exemplo a recente situação do vazamento de óleo no litoral nordestino, pelo qual vem atingindo os estuários e comprometendo a biodiversidade local, não sendo levado ao debate da plenária nesta edição do ENCOB."

 “Que todo Comitê de Bacia crie Câmara Técnica de Juventude e Água e/ou Grupo de Trabalho Juventude e Água.”

 “Que haja suporte financeiro para apoiar Coletivos e Fóruns de Juventudes em Recursos Hídricos, para busca de maior adesão desse público as questões hídricas de cada bacia hidrográfica.”

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload